sábado, 27 de setembro de 2008

WILLIAM LAW (1686-1761)

William Law nasceu em 1686, em Kings Cliffe, Northamptonshire, Inglaterra. Foi um pregador inglês, ordenado em 1711. Residiu em Cambridge, onde ensinou. A ascensão ao trono de Jorge I lhe impediu seguir, dado que não prestou o juramento de adesão ao novo governo e abjuração dos Stuart.

Durante os anos seguintes parece que viveu em Londres. Em 1727 era tutor de Edward, filho de Edward Gibbon (1666-1736) em Putney, a quem acompanhou como aio a Cambridge, onde esteve durante quatro anos. Quando seu pupilo foi para o estrangeiro, Law continuou na casa de Gibbon, em Putney, atuando como conselheiro espiritual não só da familia, senão de toda uma serie de amigos que iam por ali, entre os quais estavam os dois irmãos John y Charles Wesley, John Byron o poeta, George Cheyne o médico e Archibald Hutcheson, membro do Parlamento.
Em 1740 Law se retirou a Kings Cliffe, que havia herdado de seu pai, donde viveu com duas damas: a Sra. Hutcheson, a rica viúva de seu velho amigo, quem a recomendou em seu leito de morte que se deixara guiar por Law espiritualmente, e a Srta. Hester Gibbon, irmã de seu último aluno. Os tres viveram durante 21 anos uma vida de recolhimento, devoção, estudo e caridade. No fim da sua vida fundou escolas e casas dos pobres.
William Law morreu em 9 de abril de 1761.

William Law foi um místico notoriamente influenciado por Jacob Boheme. William Law influenciou muito a John Wesley, mas Wesley rejeitou a sua ênfase mística sob a influência do místico alemão Boehme.

De suas obras como escritor, é conhecido sobretudo por: Um Sério Chamado Para Uma Vida Devota e Santa, e Perfeição Cristã. Publicou-se também O espírito de oração e O espírito de amor.

Um Sério Chamado Para Uma Vida Devota e Santa foi um livro escrito por William Law que teve grande influência espiritual e moral na Inglaterra e em outras partes do mundo. É tido como um dos prenúncios do movimento metodista do mesmo século.

PENSAMENTOS DE WILLIAM LAW

"Qualquer homem não tem mais que volver-se a mirar sua vida passada para descobrir o pouco uso que há feito de sua razão e as poucas vezes que a ha obedecido."

"Não há nada que nos faça amar tanto uma pessoa quanto orar por ela".

"Oh, o claro, fácil e simples caminho da salvação, que não almeja resquícios de arte ou ciência, nenhum aprendizado emprestado, nenhum refinamento de razão, mas tudo feito pelo simples e natural mover de todo coração, que verdadeiramente deseje a Deus. Pois não mais é o desejo finito da criatura movendo-se em direção a Deus, mas o infinito desejo de Deus unido a este, e cooperando com ele. E é da união desses desejos, o de Deus e o da criatura, que emergem a salvação e a vida da alma".

“Embora Deus esteja presente em todo lugar, Ele apenas está presente em vós na mais profunda e mais central parte de vossa alma."

"O amor é infalível; não comete erros, porque os erros são a falta de amor".

"O homem precisa ser salvo de sua sabedoria própria bem como de sua justiça própria porque o resultado do ajuntamento das duas é uma e a mesma corrupção.”

"Um Cristo que não está em nós é um Cristo que não é nosso".

"Se não escolhermos primeiramente o Reino de Deus, no final não fará diferença o que tivermos escolhido em seu lugar".

“Deus não prometeu misericórdia para o preguiçoso e o negligente. Sua misericórdia é oferecida somente aos nosso melhores (embora fracos e imperfeitos) esforços de praticar todas as formas de justiça”

"Não existe maior sinal de um orgulho confirmado do que julgar-nos suficientemente humildes"

"Se você parar aqui e se perguntar por que não é tão piedoso quanto os primeiros cristãos, o seu próprio coração irá dizer-lhe que isso não acontece por ignorância nem incapacidade, mas simplesmente por que você na verdade jamais teve essa intenção".

"O reino do "eu", a queda do homem, é a grande apostasia da vida de Deus na alma. O reino de Cristo é o Espírito e o Poder de Deus se manifestando no nascimento de um novo homem interior".

"O homem, pelo seu pecado, caiu de uma vida em Deus para uma vida do "eu", e uma vida carnal de amor-próprio, auto-estima e egoísmo, na pobre e deteriorada alegria do mundo. Todo o pecado, toda a morte e todo o inferno não é nada mais do que este reino do "eu", ou das várias operações do amor-próprio, da auto-estima e do egoísmo"

"Devemos modificar nossas vidas para modificar nossos corações, pois, é impossível viver de um modo e orar de outro".

“Aquele que aprendeu a orar, possui o maior segredo para uma vida santa e feliz”

"Aonde nasce Cristo e se eleva Seu Espírito na alma, ali todo eu fica negado e obrigado á retirar-se, ali toda sabedoría carnal, artes de progresso com todo orgulho e gloria desta vida, são tantos ídolos pagãos voluntariamente abandonados; e não só está contente o homem, senão que diz com gozo que seu reino não é deste mundo”.

“A salvação não vem de nenhuma doutrina, senão da vida de Deus ou o Cristo de Deus renascido em ti”.

"O principal mal de uma seita é este: que se considera a sí mesma como necessaria para a verdad, e a verdade se encontra somente quando se sabe que não é propriedade da seita, senão livre e universal como a divindade de Deus e comum a todas as denominações e povos como o ar e a luz deste mundo".

"Se alguem pudera mostrar-lhe o caminho mais curto e mais seguro para alcançar toda a felicidade e toda a perfeição, deveria indicar-se-o para fazer disso uma regra a fim de dar as graças e louvar a Deus por cada coisa que lhe sucede. Por que é certo que qualquer aparente calamidade que lhe ocorra, se dá as graças e louva a Deus por isso, se transformará em uma benção".

"Não há uma salvação para o judeu e outra para o cristão e outra terceira para o pagão. Não, Deus é uno, una a humana natureza e uno o caminho para a salvação, que é o desejo de orientar até Deus a alma".

"Vós não estais de baixo do poder de nenhum outro inimigo, nem estais presos em nenhuma outra catividade, nem tendes necessidade de nenhuma outra liberação excepto do poder de vosso proprio si mesmo terrenal. Este é o único matador da vida divina dentro de vós. Teu proprio Eu é teu Caim que assasina a teu Abel”.

"A vida espiritual não é mais que a operação do Espírito de Deus dentro de nós, e portanto nosso proprio silêncio há de ser uma grande parte de nossa prepa­ração para ela, e o muito falar ou nosso deleitar-nos nele será muitas vezes não pequeno estorvo para o bem que só podemos ter ouvindo o que o Espírito e voz de Deus fala dentro de nós... A retórica e lindo falar sobre as coisas do espírito é conversa mais vã que sobre outras cosas; e aquele que pense prosperar na verdadeira bondade ouvindo ou dizendo palavras flamejantes ou assom­brosas expressões, como se costuma fazer agora no mundo, pode obter muito falatório, mas terá pouca conversação no céu"

"Que necessidade há de tantas noticias de fora, quando tudo o que está ligado à vida ou à morte ocorre e opera dentro de nós?"

4 comentários:

Anônimo disse...

Valeu Gilberto. Sua Materia sobre a vida de William Law ajudou bastante.

Peter disse...

muito obrigado, por nos dar generosamente esta pequena biografia deste vencedor em tal era

Anônimo disse...

Que maravilha! E pensar que a humanidade vai de mal a pior por desconhecer verdades tão simples!
"Meu povo se perde por falta de conhecimento", diz a EScritura.

Obrigado por essa postagem!

Anônimo disse...

Ótima matéria! Somente esqueceu de comentar que William Law não era católico e sim anglicano e mais tarde um místico, porem não católico.